Calouro UFPR 2010! Seja bem vindo!

Antes de tudo, gostaríamos de nos apresentar. Somos a gestão ‘Pra não deixar virar privada’, do Diretório Central dos Estudantes, o DCE UFPR. Você já deve ter ouvido falar (mal) de movimento estudantil e dessas coisas ‘vermelhas’ que acontecem na Universidade. Queremos então contar algumas coisas que acontecem na UFPR, experiências que já tivemos e que podemos antecipar pra vocês.

Entrar na Universidade é uma grande realização e, extasiados por essa euforia, tudo parece maravilhoso. De fato, entramos num novo mundo. Mas nem tudo são rosas no ensino que supostamente seria Público, Gratuito e de Qualidade. São professores que faltam, banheiros sem papel, planejamentos pedagógicos inadequados, poucas vagas na Universidade, laboratórios sem material, cursos à distância, sem contar as pequenas privatizações do cotidiano (em certas pesquisas e cursos pagos).

Esse balde de água fria na cara leva um tempo para ser percebido, mas quando pensamos nos problemas, a primeira pergunta que fazemos é: como resolvê-los? Como tornar a universidade melhor?

É aí que entra o movimento estudantil (carinhosamente chamado de ME). Não existe uma só resposta para essa pergunta. Uns dizem que para resolver o problema, a Universidade precisa de parcerias com entidades privadas; outros alegam que mais investimentos públicos são necessários. Tudo isso forma uma confusão enorme na nossa cabeça, né?

Nas decisões sobre os rumos da Universidade, os estudantes quase não têm peso nas votações – isso torna os espaços institucionais de deliberação (os Conselhos Superiores, por exemplo) insuficientes para uma construção democrática da UFPR, que ouça os estudantes, técnicos e professores em pé de igualdade.

A única alternativa restante para os estudantes fazerem a diferença é o movimento estudantil. Várias conquistas foram conseguidas através de mobilizações. Foi aqui na UFPR a primeira ocupação de reitoria do Brasil, nas barricadas de outono de 1968. A pauta era impedir a cobrança de mensalidade na Universidade. Já em 1982, existia um projeto do governo federal para cobrar mensalidades, e uma greve foi realizada com a mesma finalidade da ocupação de 68. Em 1998, outra greve, as universidades estavam ameaçadas de não receber financiamento. A greve de 2001 fez com que o Núcleo de Assuntos Acadêmicos – NAA – deixasse de cobrar taxas para a emissão de documentos, houve luta pela contratação de 5000 professores e pelo plano nacional de assistência estudantil.

É por essas e outras que o ME não deve ser só mais um espaço institucional, cargos e entidades que servem mais para concursos de popularidade ou para o-que-quer-que-seja do que para resolver problemas. A chance de resolver qualquer questão por meio desses cargos é quase nula. O ME deve ser combativo, deve possibilitar o amplo diálogo com todos os cursos e fazer sua opção por um conhecimento que emancipe a classe trabalhadora.

E é por defender e lutar por esse amplo diálogo que o DCE, junto com outros centros acadêmicos, está organizando o XIV Congresso dos Estudantes da Universidade Federal do Paraná, que acontecerá de 10 a 12 de Setembro. Onde estudantes de todos os cursos e setores poderão expor e debater suas idéias, além de formularem uma política de atuação do ME da UFPR. O Congresso é um espaço formado por estudantes na forma de delegados ou observadores. Todos os estudantes podem ser observadores e poderão participar de todos os espaços e atividades do Congresso. Os delegados, que são escolhidos por cursos, na proporção de 1 delegado para cada 100 estudantes, além de participarem dos espaços e atividades terão direito a voto na plenária final.

A maior importância do Congresso é que ele permite o debate mais abrangente entre os estudantes, porque todos podem participar independentemente de fazerem parte do Centro Acadêmico do seu curso, uma vez que é função do Centro Acadêmico organizar eleições para delegados para o Congresso onde todos possam ser votados, e não indicar os delegados. Por isso participe do Congresso, como delegado ou observador, e ajude a construir a nossa universidade. E não se esqueça que o Congresso não é a única forma de construção do ME!!

Mas então de que forma o movimento estudantil acontece na UFPR, além do Congresso? Através dos Centros Acadêmicos, do Diretório Central dos Estudantes e de coletivos organizados. Procure a entidade representativa dos estudantes do seu curso e venha conhecer o DCE! Temos um prédio bonito que fica do lado do Restaurante Universitário do Centro, na Rua General Carneiro, 390, Curitiba. Também acesse nosso site e conheça nossas ideias!

Nos encontre!

http://www.twitter.com/dceufpr

http://www.dce.ufpr.br

Rua General Carneiro, 390, Curitiba (ao lado do R.U.)

Nosso telefone é 33605120 e nosso e-mail é dceufpr@gmail.com!

About these ads